A Ordem dos Médicos demorou 12 anos a condenar um médico envolvido na morte de uma criança. O médico ainda não cumpriu pena e continua a exercer.

O parto de Maria da Assunção, no Hospital da Cruz Vermelha, correu mal e a bebé nasceu com graves lesões cerebrais. A criança acabou por morrer aos seis anos, devido a essas lesões.

Foi provado que neste caso houve negligência médica. 

Passados 12 anos, a Ordem dos Médicos condenou o médico a dez dias de suspensão, mas, atualmente, o clínico continua a exercer no privado e, até hoje, ainda não cumpriu a pena decidida.

É que o médico recorreu da decisão no Tribunal Administrativo de Sintra, que tem este processo na gaveta há quase cinco anos.

No Hospital da Cruz Vermelha, desapareceram documentos importantes relativos a este caso. Nunca foi dada uma explicação à família sobre o desaparecimento dos ficheiros. 

Na sequência do desaparecimento destes documentos, o Ministério Público teve de arquivar o caso.