Um negócio de milhões ruinoso para o Estado permitiu garantir que a atual presidente da Câmara de Matosinhos, e ex-deputada do PS, pudesse ser candidata nas últimas eleições autárquicas.

Luísa Salgueiro pertenceu à direção de uma IPSS que estava falida e, se o processo avançasse, poderia ficar impedida de se candidatar a cargos públicos.

No entanto, a autarquia socialista assumiu todas as dívidas e ficou com um prejuízo de 4 milhões de euros, que, agora, estão a a ser pagos pelos contribuintes.