A Guarda Nacional Republicana (GNR) deteve no domingo, no distrito de Faro (Algarve), três pessoas suspeitas dos crimes de lenocínio, tráfico de estupefacientes e evasão fiscal, e uma outra por violência doméstica, foi anunciado esta segunda-feira.

Em comunicado, a GNR informou que três pessoas, com idades entre os 55 e os 57 anos, foram detidas no domingo, nas localidades de Loulé e Quarteira, no âmbito de uma investigação que decorria há seis meses.

Segundo a GNR, durante a investigação denominada “Guest”, “os militares apuraram que num estabelecimento de diversão noturna, registado como hospedaria e bar, decorriam atividades ilícitas, como o lenocínio - incentivo à prostituição -, evasão fiscal e tráfico de estupefacientes”.

No decurso das buscas, foram apreendidos duas armas de fogo, 285 munições de diversos calibres, três aerossóis de gás pimenta, 33 doses de haxixe, 28 doses de cocaína, equipamento informático e de comunicações, 4.996 euros e 180 libras em numerário, e material relacionado com práticas sexuais.

De acordo com a GNR, durante a operação conjunta com o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras e a Autoridade Tributária, foram identificadas 38 pessoas, “entre clientes e funcionários do estabelecimento, tendo sido detetadas três em situação ilegal em território nacional”.

Os detidos vão ser ouvidos hoje no Tribunal de Loulé em primeiro interrogatório judicial, para eventual aplicação de medidas de coação.

Também no domingo, a GNR deteve um homem, de 32 anos, no concelho de Silves, alegadamente por violência doméstica, o qual terá agredido e injuriado a companheira, de 36 anos, na via pública.

De acordo com a GNR, a vítima terá sido ajudada por duas pessoas a deslocar-se ao posto policial, onde foi acionada a assistência médica.

Os militares intercetaram e detiveram posteriormente o suspeito, nas imediações do local onde terão ocorrido as agressões.

O homem está hoje a ser ouvido em primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Silves.