O Tribunal de Coimbra começa a julgar na quinta-feira, às 14:15, um homem de 65 anos, que está acusado de violência doméstica e de forçar a companheira a prostituir-se na Baixa daquela cidade.

O arguido, com 65 anos, viveu com a sua companheira, em Coimbra, desde novembro de 2017 até novembro de 2019, altura em que a vítima foi acolhida numa casa abrigo, refere a acusação a que a agência Lusa teve acesso.

Segundo o Ministério Público (MP), o arguido, que estava aposentado, terá impedido a ofendida de ter acesso aos seus rendimentos, nomeadamente os valores de uma formação que frequentou e do Rendimento Social de Inserção (RSI), alegando que era para pagar o quarto.

No entanto, nota o MP, o dinheiro era usado para seu benefício próprio, nomeadamente para adquirir bebidas alcoólicas, sendo que nos últimos seis meses não pagou a renda da habitação onde viviam.

De acordo com a acusação, o arguido terá insultado por diversas vezes a vítima e, entre outubro e novembro de 2019, obrigou-a a prostituir-se na baixa de Coimbra, dizendo-lhe que, se não lhe desse o dinheiro, batia-lhe e punha-a na rua.

A 11 de novembro de 2019, o arguido terá desferido três pontapés nas costas da ofendida, puxou-lhe os cabelos e ainda empunhou um canivete dizendo: "vou-te espetar".

Na sequência das agressões, a vítima saiu de casa e foi acolhida numa casa abrigo, refere o MP.

O arguido é acusado de um crime de violência doméstica e um crime de lenocínio.

Na acusação, que data de abril, é referido que o arguido está apenas sujeito a termo de identidade e residência, tendo informação de que o casal continuará junto.

/ HCL