A chuva intensa que esta tarde atingiu o distrito de Leiria provocou cerca de 40 ocorrências, a grande maioria inundações, sendo os concelhos de Leiria, Alcobaça e Caldas da Rainha os mais afetados, disseram fontes da Proteção Civil.

O comandante do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria, Carlos Guerra, afirmou que se verificaram “picos de chuva muita intensa e localizada”, que afetaram “com maior intensidade os concelhos de Leiria, Alcobaça e Caldas da Rainha”.

Os sistemas de drenagem não tiveram capacidade de escoamento da água e verificaram-se inundações sobretudo em algumas estradas, garagens e caves”, afirmou o comandante, acrescentando, no entanto, que “não foram reportadas vítimas nem danos estruturais”.

De acordo com fonte do CDOS, “durante a tarde de hoje, a partir das 15:00, registaram-se cerca de 40 ocorrências, a grande maioria inundações”.

Na freguesia de Regueira de Pontes, no concelho de Leiria, o presidente da junta, Vítor Matos, explicou que a chuva “torrencial, entre as 16:30 e as 17:30, inundou habitações, armazéns, empresas e comércio”, além de ter derrubado um muro.

Felizmente não há vítimas”, declarou Vítor Matos, explicando que “bombeiros e elementos da junta deram uma ajuda no que puderam e os populares têm-se ajudado”.

O autarca adiantou que também a sede da junta foi afetada pela chuva forte.

A caleira não conseguiu dar escoamento, tal a quantidade de água, e esta entrou pela cobertura. Há danos materiais”, esclareceu, referindo que está a ser feito um levantamento de prejuízos para a junta ajudar no que puder “e, eventualmente, fazer chegar à câmara, para pedido de apoio”.

Segundo Vítor Matos, “as empresas atingidas foram na Zona Industrial da Ponte da Pedra”, salientando que a intensidade da chuva “foi uma coisa fora do vulgar”.

Neste local, Ponte da Pedra, a Estrada Nacional 109 está cortada ao trânsito para viaturas ligeiras, ao quilómetro 163, informou fonte da GNR.

Devido à chuva, aumentou o caudal de uma ribeira que atingiu a estrada, na Ponte da Pedra”, referiu a mesma fonte, explicando que na via está impedida a circulação a viaturas ligeiras desde as 18:30.

Este militar esclareceu que para estes veículos o desvio é feito por Riba de Aves e pelos Campos do Lis, não havendo pelas 19:30 previsão da normalização do tráfego rodoviário.

A descida do caudal da ribeira é que vai permitir a normalização”, informou a fonte da GNR.

No concelho das Caldas da Rainha, registaram-se deslizamentos de terra nas freguesias de Alvorninha, Carvalhal Benfeito e Salir de Matos, disse à Lusa o comandante da Proteção Civil Municipal, Gui Caldas, reportando ainda “o desmoronamento de um muro de contenção de terras na variante à cidade”.

De acordo com o mesmo responsável, “várias estradas ficaram inundadas, mas não houve necessidade de cortar o trânsito” e não há no concelho registo de vítimas.

Foi uma situação de chuva atípica que causou ‘stresse’ dos sistemas de drenagem que não estão preparados para esta quantidade de água em tão curto período de tempo”, afirmou o responsável pela Proteção Civil no concelho onde a chuva gerou uma dúzia de pedidos de auxílio aos bombeiros.

Dezasseis distritos estiveram hoje sob aviso amarelo devido à previsão de aguaceiros, pontualmente fortes, que podiam ser de granizo e acompanhados de trovoada, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Este aviso, que vigorou entre as 12:00 e as 18:00, abrange quase todos os distritos, ficando de fora apenas os de Bragança e Faro.

O aviso amarelo é emitido pelo IPMA sempre que existe uma situação de risco para determinadas atividades dependentes da situação meteorológica.

/ CE