Um protesto organizado pelo movimento Climáximo e pela campanha Aterra, nesta quarta-feira, culminou com um avião de papel gigante a ser atirado contra a entrada do Ministério da Economia.

A manifestação pretendeu alertar para a necessidade de uma redução drástica de emissões de gases com efeito de estufa e protestar contra a criação do novo aeroporto do Montijo.

O Governo gosta de colidir com as leis da física ao negar a urgência das alterações climáticas, agora, são as leis da física que colidem com o Governo sob a forma de um avião de brincar gigante”, descreveu o movimento Climáximo, sublinhando a oposição a qualquer novo projecto que implique o aumento de emissões de CO2, “isto é, qualquer novo aeroporto”.

 
Avião de papel gigante com a mensagem: " Mais aviões só a brincar"

O movimento contra as alterações climáticas afirmou, ainda, que a pressão para a construção de um novo aeroporto representa “a negação da existência da crise climática por parte do Governo, e revela o carácter predatório do sistema económico atual”.

Durante a manifestação foram lançadas duras críticas ao Ministério da Economia, que o movimento Climáximo descreve como um “Ministério a brincar, sem ação política coerente com a realidade, servindo apenas de sustento para os lucros privados, à custa do nosso futuro colectivo”.

O aeroporto do Montijo já se despenhou. Quaisquer novos projectos destes contarão com o bloqueio activo dos movimentos pela justiça climática. É urgente acabar com brincadeiras e começar uma política de transição justa para a sociedade, com uma modificação fundamental dos sistemas de energia, transportes, agricultura e floresta. Mais aviões só a brincar”, assumiu o movimento Climáximo.

 
/ HCL