Centenas de bombeiros profissionais estão, esta segunda-feira, a protestar na Praça do Comércio, em Lisboa, contra as propostas do Governo que regulam o estatuto e o regime de aposentações da classe.

Enquanto os dirigentes eram ouvidos no Ministério da Administração Interna, os bombeiros profissionais derrubaram a barreira de segurança e dirigiram-se para a porta do ministério, que entretanto foi fechada. Os dirigentes acabaram por sair do edifício e pedir calma aos colegas. 

A concentração, que começou cerca das 14:30, foi convocada pelo Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa (STML) e pelo Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL), a que se juntam a Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais (ANBP) e o Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais (SNBP). Os mesmos sindicatos marcaram uma greve de duas semanas com início a 19 de dezembro.

Em causa está o novo estatuto profissional que regula a carreira especial de sapador bombeiro e de oficial sapador, aprovada na generalidade pelo Governo a 25 de outubro.

Os sindicatos contestam a proposta apresentada pelo Governo porque há uma redução dos salários, passando os bombeiros sapadores a ter uma remuneração de início de carreira igual ao salário mínimo nacional.

Os bombeiros profissionais vão passar a ser os trabalhadores da função publica mais mal pagos”, disse perante os manifestantes António Pascoal, delegado sindical dos Sapadores de Lisboa no STML.

Vestidos com os uniformes de bombeiro, estes profissionais exibem cartazes em que se lê “Bombeiros dizem não ao Governo por carreiras e aposentações dignas”, além de se manifestarem de forma ruidosa, com buzinas.