O presidente do PSD considerou “intolerável” a alegada “inação dos elementos da GNR” durante a agressão a um repórter de imagem da TVI, na segunda-feira, considerando que deveria haver um processo de averiguações.

“Se o relato da TVI é rigoroso, então, a inação dos elementos da GNR é intolerável”, escreveu Rui Rio na rede social Twitter, ao início da noite:

O 'tweet' é acompanhado de um link para uma notícia da TVI24, que dá conta de que a GNR esclareceu “a posição do guarda sobre as agressões” ao repórter de imagem daquele órgão de comunicação social, no recinto do Moreirense, depois do final do jogo com o FC Porto.

De acordo com a TVI, a GNR explicou que o militar a quem o jornalista pediu ajuda “não presenciou as agressões”, mas “rapidamente” tentou “acalmar os ânimos”.

A publicação do dirigente social-democrata no Twitter acrescenta que “ver um bandalho a agredir um cidadão e não interferir de imediato para o evitar – agravado com o facto de se tratar de um crime público – exige um processo de averiguações”.

O Ministério Público vai abrir um inquérito à agressão a um repórter de imagem da TVI, ocorrida depois do jogo entre o Moreirensee e o FC Porto, confirmou hoje à Lusa fonte oficial da PGR.

Na segunda-feira, depois do encontro da 29.ª jornada do campeonato, que terminou empatado 1-1, um jornalista foi agredido nas imediações do estádio do Moreirense, em Moreira de Cónegos, de acordo com imagens transmitidas pelo próprio canal de televisão.

No dia de hoje, além da TVI, várias entidades, como a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o Sindicato dos Jornalistas (SJ), a Associação dos Jornalistas de Desporto (CNID), a Associação Nacional de Agentes de Futebol (ANAF) e a Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), juntamente com os clubes Sporting e Benfica, repudiaram a agressão.

/ MJC