Um dos três suspeitos de assalto à mão armada a várias farmácias em Lisboa e na Margem Sul ficou este sábado em prisão preventiva. Os outros dois suspeitos ficaram sujeitos a apresentações bissemanais às autoridades.

A TVI noticiou em exclusivo que a PSP deteve na sexta-feira o grupo suspeito de dezenas de assaltos.

Os agentes da PSP intercetaram em flagrante delito os três suspeitos depois de estes tentarem assaltar uma farmácia na Avenida Estados Unidas da América, em Lisboa. Os três suspeitos foram detidos na Rotunda do Relógio, depois de uma perseguição sem incidentes a registar.

Este sábado a PSP informou que o grupo é constituído por dois homens e uma mulher. São suspeitos de assaltarem à mão armada 22 farmácias em Lisboa, Almada e Setúbal ao longo de cerca de um mês e meio.

Em conferência de imprensa, João Prisciliano, comandante da segunda esquadra de Investigação Criminal da PSP de Lisboa, disse aos jornalistas que o grupo foi responsável por 22 assaltos a farmácias em Lisboa, Almada e Setúbal, desde 21 de novembro de 2019, estando o produto dos assaltos calculado em cerca de cinco mil euros.

Segundo a PSP, há registo de farmácias que foram assaltadas mais do que uma vez.

O mesmo responsável referiu que o principal suspeito entrava sozinho nas farmácias com uma arma de fogo, pedia o dinheiro que estava na caixa e depois tinha uma logística no exterior que permitia a fuga mais depressa de carro.

O comandante da segunda esquadra de Investigação Criminal da PSP de Lisboa frisou também que os assaltantes, com idades entre os 20 e os 23 anos, aproveitavam o fecho das farmácias para fazerem o roubo, tendo em conta que havia menos gente e a caixa registadora tinha mais dinheiro.

João Prisciliano disse ainda que a PSP montou um dispositivo policial virado e direcionado para este tipo de roubos depois de tomar conhecimento de uma vaga de assaltos a farmácias em Lisboa.

Dois dos três detidos já tinham antecedentes criminais.