A Polícia de Segurança Pública (PSP) desmantelou um grupo que, desde 2019, “furtava componentes de viaturas” em Lisboa, tendo detido dois homens que ficaram em prisão preventiva, anunciou esta quinta-feira aquela força policial.

“Desde o final do ano de 2019 e início de 2020, na Área Metropolitana de Lisboa (AML), tem sido constatado o aumento do número de furtos de peças e componentes de veículos, sendo que este grupo é fortemente suspeito de ser o que tinha maior atividade”, adiantou a força policial, em comunicado.

Segundo a nota, o alegado grupo roubava várias peças, na maioria jantes, que “serviam para colocar em viaturas próprias que tinham sido alvo de acidentes, existindo fortes suspeitas de que estes acidentes tenham sido simulados”.

Além disso, a PSP colocou a hipótese de que as peças eram colocadas noutros veículos “com a finalidade de abastecer novamente o mercado automóvel”.

De acordo com a força policial, o grupo em causa também “começou a proceder a furtos em residências, bem como obras que se encontravam a decorrer, com o objetivo de obter materiais de construção para uso próprio”.

Perante estes crimes e depois de uma investigação, a PSP deteve dois homens de 20 e 36 anos, e realizou sete mandados de busca, que resultaram na apreensão de sete veículos, quatro tablets, dois robots de cozinha, materiais de construção diversos e “várias peças de viaturas”.

“No seguimento destas detenções foram efetuadas diligências no sentido de entregar os bens apreendidos aos seus legítimos proprietários, sendo que, através do material apreendido aos arguidos, foi possível imputar um número considerável de furtos de onde obtiveram ao longo do tempo os referidos bens”, informou.

Os detidos foram presentes ao Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa Oeste - Sintra para primeiro interrogatório judicial, que aplicou a medida de coação de prisão preventiva.