A Polícia de Segurança Pública, do Comando Metropolitano de Lisboa, deteve no último sábado um homem de 56 anos que se fazia passar por Inspetor da Polícia Judiciária (PJ). 

Era suspeito "da prática dos crimes de violação, falsificação de documentos e posse de arma proibida", esclarece o comunicado enviado à comunicação social.

O homem fazia-se passar por inspetor da PJ, utilizava mandados de busca e apreensão falsos, simulou uma investigação para ter acesso ao interior de uma casa e chegou mesmo a ameaçar a "vítima com arma de fogo para a obrigar à prática sexual"

A detenção em flagrante delito, ocorreu às 16:30, na freguesia de Benfica, em Lisboa. 

Foi constatado que o mesmo tinha na sua posse vários documentos falsificados, idênticos aos documentos formais e em uso nas Polícias, uma capa com símbolo do Exército, uma carteira profissional falsificada da Polícia Judiciária, bem como telemóveis, pen-drive, computador e uma arma de fogo com munições que foram apreendidos". 

A vítima foi, posteriormente, transportada para o Hospital de Santa Maria para os exames complementares de diagnóstico.

O suspeito foi presente ao Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa – Juízo de Instrução de Lisboa, para 1º interrogatório judicial, tendo-lhe sido aplicada a medida de coação de Prisão Preventiva.