Um homem de 20 anos foi detido na madrugada de domingo, em Évora, pela prática do crime de violência doméstica, informou esta segunda-feira o Comando Distrital da Polícia de Segurança Pública (PSP) daquela cidade.

O suspeito foi hoje presente a primeiro interrogatório judicial, de acordo com uma nota enviada à Lusa pela PSP, que refere ainda que, até ao momento, se desconhecem as medidas de coação aplicadas.

A detenção ocorreu no hall de entrada do prédio habitacional onde residiam o suspeito e a vítima, depois de os agentes no local terem presenciado uma agressão do suspeito à vítima, que tinha, entretanto, saído de uma casa de vizinhos, onde se tinha refugiado, no sentido de tentar acalmar os ânimos do agressor.

A polícia explica que se deslocou no domingo, pouco depois das 2:00, a uma residência no centro histórico de Évora por ter recebido notícia de estar a decorrer um crime de violência doméstica e, ao chegar ao local, pôde escutar uma discussão proveniente do interior da residência.

Segundo testemunhas presentes no local, o suspeito deambulou pela rua momentos antes, aos gritos, e partiu a porta de uma residência de um vizinho, espalhando sangue pela rua em consequência dos ferimentos que causou em si próprio numa das mãos.

À chegada dos agentes da autoridade, o suspeito, que se encontrava à janela da residência, não colaborou com as ordens que lhe foram dadas, nomeadamente para abrir a porta.

Mais tarde, a vítima conseguiu refugiar-se em casa dos vizinhos do andar acima, apesar de perseguida pelo suspeito, que tentou forçar a entrada nesse domicílio.

Após proceder à detenção, e ao entrar em casa do suspeito e da vítima, também de 20 anos, que são namorados, a PSP verificou a existência de vários objetos partidos.

Testemunhas visualizaram através da janela da habitação várias agressões do suspeito para com a vítima, que não necessitou, no entanto, de receber assistência médica.

A detenção aconteceu na madrugada logo após a noite de sábado, em que um agente da PSP foi atropelado, acabando por morrer no hospital, já no domingo, ao tentar defender uma outra vítima de violência doméstica, também em Évora.

/ LF