Um homem de 42 anos foi detido na sexta-feira na esquadra de Alfragide, na Amadora, pelo crime de violência doméstica, tendo ficado em prisão preventiva, avançou hoje o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (PSP).

De acordo com o comunicado, “o Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública, no dia 13 de agosto, através da esquadra de Alfragide da divisão policial da Amadora, pelas 22:45, efetuou a detenção de um homem com 42 anos pelo crime de violência doméstica”.

A PSP conta que, na noite de sexta-feira, recebeu uma chamada via 112 “de uma vítima de violência doméstica que se encontrava sequestrada na residência com o seu filho menor, de dois anos e meio, pelo seu companheiro”.

Foram reunidos meios policiais, sendo que quando os mesmos chegaram ao local, a senhora encontrava-se no exterior do prédio num estado de clara aflição, explicando que o suspeito a havia ameaçado a si e ao seu filho com uma faca de grandes dimensões, altura em que conseguira fugir para fora da residência, não tendo conseguido, porém, trazer o seu filho consigo”, acrescenta a mesma fonte.

A vítima foi acompanhada pelos polícias até junto da porta da residência onde tentou estabelecer contacto verbal com o suspeito de forma a persuadi-lo a abrir a porta e deixar sair o menino, tendo o suspeito negado repetidas vezes.

“o decorrer desta situação, foi claramente audível o som do choro da criança, seguido de gritos da mesma” e, “por haver um perigo real para a vida e integridade física do menor, os polícias efetuaram o arrombamento da porta, entrando na residência”, descreve a PSP.

No interior da residência, continua a fonte policial, “o suspeito foi manietado, sendo-lhe retirado o menino do colo e entregue à sua mãe” e foi-lhe dada “voz de detenção, sendo ainda apreendida no local a faca por si utilizada para perpetuar as ameaças contra a sua família”.

Segundo o comunicado, o detido foi hoje presente ao Tribunal Judicial da Comarca Lisboa Oeste – Juízos da Amadora, no presente dia, pelas 10:00, tendo ficado em prisão preventiva.

Agência Lusa / MJC