A Polícia de Segurança Pública (PSP) revelou, esta segunda-feira, que foram identificadas “mais cinco simulações de crime”, nomeadamente de roubo, nos concelhos de Odivelas e Loures, no distrito de Lisboa, contabilizando-se 70 situações desde o início de 2018.

Segundo informação do Comando Metropolitano de Lisboa da PSP, as cinco situações de simulação de crime foram registadas durante o mês de junho, através de denúncias apresentadas em várias esquadras dos concelhos de Odivelas e Loures, no âmbito de “um constante esforço de rastreio e deteção de falsas denúncias”, associadas à obtenção de benefícios ilegítimos junto das seguradoras por via de cenários de crime ficcionados, nomeadamente de roubo.

Todas as denúncias versaram sobre alegados cenários de roubo de telemóveis, bens esses segurados e de valor bastante elevado, fixando-se por vezes acima dos mil euros”, avançou a PSP, explicando que, depois de uma despistagem prévia e preventiva, os presumíveis lesados foram contactados por polícias, com especialização no tratamento e decomposição inicial das denúncias, no sentido de serem obtidos novos dados.

No processo de despistagem das denúncias de crime, nomeadamente de roubo, a PSP detetou “fragilidades, insipiências e contradições várias no testemunho destas, levando a que estas viessem, inevitavelmente, a admitir a falsidades das suas comunicações”.

Cumulativa e consequentemente, foram desenvolvidas diligências no sentido de informar as seguradoras do embuste, caso elas já tivessem sido acionadas, e tentar obter a real localização dos aparelhos”, referiu esta força de segurança.

Das cinco situações de simulação de crime identificadas durante o mês de junho, a PSP ressalvou que um dos suspeitos fez duas denúncias falsas de roubo, prestadas na esquadra de Odivelas, “vindo, logo após a receção da segunda, a ser desmascarado, admitindo que, em ambas, o mesmo teria apenas extraviado o aparelho”.

Perante “as evidências dos indícios” de simulação de crime, os suspeitos foram constituídos arguidos e submetidos a Termo de Identidade e Residência, adiantou o Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

De acordo com dados desta força de segurança, desde o início de 2018 até à presente data, foram “identificadas 70 situações de simulação de crimes violentos, e que representariam cerca de 9% da criminalidade violenta e grave registada nas áreas dos concelhos de Odivelas e Loures”.

Tais atos de simulação, além da sua gravidade no que concerne à falsidade de declarações, potenciam um balanceamento erróneo do dispositivo policial, assim ajustado para a prevenção/repressão de crimes em ‘hotspots’ fictícios, estes criados com base nas simulações de crimes”, alertou a PSP, reforçando que os comportamentos de simulação de crime “colocam em causa a segurança de toda uma comunidade”.