A PSP deteve hoje nove pessoas no âmbito de uma operação de fiscalização dirigida a empresas de pirotecnia em várias localidades do Norte do país e na Madeira, avançou à Lusa fonte daquela força de segurança.

O responsável do Departamento de Armas e Explosivos da Polícia de Segurança Pública, Pedro Moura, disse que a operação começou às 07:00 de hoje com as buscas domiciliárias, estando ainda a realizar-se as buscas não domiciliária e não existe uma hora para o fim da fiscalização.

A operação, que tem o nome de código “Firework II”, está a decorrer em unidades pirotécnicas dos distritos do Porto, Braga, Viana do Castelo e Funchal.

Pedro Moura adiantou que foram detidas nove pessoas e apreendido “muito material”, nomeadamente produtos explosivos, artigos pirotécnicos, pólvora e artigos de matérias perigosas.

O responsável disse que foram realizadas nove buscas domiciliárias e oito não domiciliárias.

Em causa estão os crimes de tráfico de produtos explosivos, detenção de arma e falsificação de documentos.

O responsável do Departamento de Armas e Explosivos da PSP precisou que esta investigação a empresas de pirotecnia começou há dois anos e é coordenada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) do Porto.

Pedro Moura afirmou que a PSP realizou no ano passado a primeira fase desta operação e incidiu sobre a rotulagem de produtos de pirotecnia.

O responsável do Departamento de Armas e Explosivos da PSP faz um balanço detalhado da operação às 15:00, no Quartel da Belavista, no Porto.

/ ALM com Lusa