As forças de segurança em Portugal estão no limite da resistência. Há materiais que estão fora do prazo, como coletes de proteção balística ou gás pimenta. 

Para agravar a situação, muitos dos outros materiais usados no exercício das funções são adquiridos pelos próprios agentes da autoridade.

Nos últimos anos, os alertas têm sido constantes, agora são vários os exemplos da deterioração das condições de trabalho das forças de segurança.

Quase a totalidade dos agentes da  polícia adquiriu as suas algemas, o gás pimenta muitas das vezes está fora da validade, só 35% do efetivo é que tem colete de proteção balística. Os coletes de proteção balística além de não serem em número suficiente, alguns estão completamente degradados", exemplificou Paulo Rodrigues, da Associação Sindical Profissionais da Polícia.

A última vez que houve uma renovação e reforço de materiais a sério na PSP foi no Euro 2004, ou seja, há 15 anos.

Paulo Rodrigues diz que, por comparação ao nível dos equipamentos adquiridos, a polícia portuguesa "é o parente pobre da União Europeia”.

Esta quinta-feira há uma reunião com o ministro da Administração interna, Eduardo Cabrita.