As reclamações dos cidadãos em relação ao setor da saúde aumentaram 73% desde o início da pandemia de covid-19, de acordo com os dados divulgados pelo Portal da Queixa.

A impossibilidade de ser atendido por um médico é o principal motivo de reclamação dos portugueses. Queixas relativas ao atraso na vacinação de idosos e à dificuldade em entrar em contacto com os centros de saúde são também exemplos citados por esta plataforma.

Entre 1 de março de 2020 e 29 de fevereiro de 2021, o portal recebeu 7.563 reclamações dirigidas ao setor da saúde, o que representa um aumento de 73% face a igual período do ano anterior (1 de março de 2019 até 29 de fevereiro de 2020), onde foram registadas 4.370 queixas.

Só em março deste ano, já foram contabilizadas 526 queixas, uma ligeira subida comparativamente com o período homólogo (março de 2020), onde se verificaram 508 queixas. 

Durante este mês de março, as categorias alvo do maior número de reclamações foram: Plano e Seguros de Saúde (124 queixas), Serviço Nacional de Saúde (106), Hospitais e Centros de Saúde (97), Grupos Privados de Saúde (60) e Farmácias (55).

É possível ainda concluir que, no mês de março, entre os três principais motivos de reclamação reportados pelos consumidores no Portal da Queixa, estão a impossibilidade de ser atendido por um médico (37%), a dificuldade no atendimento telefónico (34%) e a vacinação (8%), sendo que este último está relacionado com as dúvidas e dificuldades dos utentes sobre a campanha de vacinação contra a covid-19.

Maria João Caetano