Uma explosão nas oficinas da EMEF (Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário), no Entroncamento, fez esta sexta-feira quatro feridos, um deles encontra-se em "estado crítico" e outro em estado grave. As outras duas vítimas tiveram apenas ferimentos ligeiros. 

A TVI sabe que as vítimas estavam a “fazer trabalhos de colagem de chão em vinil numa composição de um comboio” quando se deu a explosão. Os quatro feridos foram levados para o hospital de Abrantes. 

O ferido considerado em estado crítico será transportado por helicóptero para o hospital de Santa Maria. Os restantes vão ser transferidos de ambulância para Coimbra.

Houve uma deflagração, possivelmente motivada pela acumulação de gases de cola, da qual resultaram quatro feridos: um crítico, um grave e dois ligeiros”, disse Rodrigo Bertelo à agência Lusa.

De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários do Entroncamento, os feridos crítico e grave têm “queimaduras de 2.º e 3.º grau em 60% a 70% do corpo, sendo que um deles, provavelmente, tem também queimaduras nas vias aéreas”.

O alerta foi dado por volta das 10:51 desta manhã. tendo os meios de socorro desmobilizado por volta das 12:04. No local estiveram presentes nove veículos, entre os quais quatro ambulâncias, um VMER e um SIV e 20 operacionais dos bombeiros, INEM e PSP.

A explosão não resultou em incêndio.

Em comunicado, a Comboios de Portugal (CP) fez saber que “foi já iniciado o processo de averiguação das causas que terão estado na origem deste lamentável acidente”.

A empresa indicou ainda que “está a acompanhar, a todo o momento, a evolução do estado de saúde destes trabalhadores” e disponibilizou “todo o apoio necessário”.

Neste âmbito, lamentou “profundamente” o sucedido e reforçou o seu compromisso com a segurança e bem estar dos seus colaboradores.

João Guerreiro Rodrigues António Pereira Gonçalves / Notícia atualizada às 15:02