William, duque de Cambridge, reagiu esta segunda-feira à morte do seu avô príncipe Philip, através de um comunicado publicado no site oficial da família real britânica. O príncipe destacou uma vida “definida pelo serviço” à sua mulher e rainha de um “homem extraordinário de uma geração extraordinária”.

O século de vida do meu avô foi definido pelo serviço – ao seu país e à Commonwealth, à sua espora e rainha, e à nossa família”, pode ler-se no documento.

O duque sublinhou também “a sorte” que sente por ter tido a presença do avô para “o guiar” durante os bons e os maus momentos. William diz ainda sentir-se “grato” pelo facto de a sua mulher, Kate Middleton, bem como os seus filhos, terem tido a oportunidade de conviver durante tantos anos com Philip.

William recorda “um homem extraordinário” que fez parte de uma “geração extraordinária” e termina com a mensagem com a promessa de que continuará a fazer aquilo que ele quereria que fosse feito: apoiar a rainha nos anos que se aproximam.

O meu avô foi um homem extraordinário e parte de uma geração extraordinária. Catherine e eu continuaremos a fazer o que ele teria desejado e continuaremos a poiar a rainha durante os anos vindouros. Sentirei sempre falta do meu avô, mas sei que ele gostaria que continuássemos com o nosso trabalho”, conclui o príncipe.

Harry recorda "uma lenda da brincadeira" que foi "atrevido até ao fim"

Também o príncipe Harry, que chegou este domingo ao Reino Unido para estar presente das cerimónias fúnebres, emitiu um comunicado onde enaltece o avô, um homem marcado pelo “serviço, pela honra e grande sentido de humor”. O filho mais novo do príncipe Carlos recordou ainda um homem “capaz de atrair a atenção de uma sala inteira com o seu charme” que era “um mestre da barbecue”.

Ele será lembrado como o consorte mais longo de um monarca, como um soldado condecorado, como um príncipe e um duque. Mas, para mim, como para muito de vocês que perderam um ente querido ou um avô durante este doloroso último ano, ele era o meu avô: mestre do churrasco, lenda da brincadeira e atrevido até ao fim”, recordou o duque de Sussex.

Harry elogiou a “devoção sem paralelo” de Philip para com a rainha, que, durante mais de 73 anos de casamento, foi a “rocha” em que Isabel II se apoiou.

Nessa nota, avô, obrigado pelo teu serviço, pela tua dedicação à avó, e por seres sempre tu mesmo. Vais fazer muita falta, mas serás sempre lembrado – pela nação e pelo mundo. Meghan, Archie e eu (assim como a tua futura bisneta) teremos sempre um lugar especial para ti nos nossos corações”, concluiu Harry.

O funeral do príncipe Philip, duque de Edimburgo, será realizado em Windsor, no próximo sábado, dia 17 de abril, anunciou este sábado o Palácio de Buckingham.

As cerimónias fúnebres do serão um "funeral real cerimonial" e não um funeral de estado, que "reflete muito os desejos do duque", disse um porta-voz do palácioHaverá um minuto de silêncio nacional, enquanto o caixão chega à Capela de São Jorge.

A cerimónia respeitará as diretrizes do Governo britânico de regras de combate à pandemia de covid-19, que restringe a 30 o número de pessoas autorizadas a estar presentes em funerais, mas o palácio de Buckingham não confirmou se os membros da família serão obrigados ao uso de máscara de proteção individual.

O palácio de Buckingham pediu às pessoas para não se deslocarem até Windsor, sugerindo que aqueles que quiserem prestar homenagem o façam em casa, vendo a cerimónia pela televisão.