A qualidade de vida está a subir em Lisboa. A capital portuguesa subiu cinco posições no ranking da qualidade de vida, e está na 38.ª posição, acima de cidades como Paris, Londres, Milão, Madrid e Nova Iorque. A liderar a tabela está, mais uma vez, Viena, na Áustria, que lidera o ranking da consultora Mercer, divulgado esta terça-feira, há já nove anos. No fim da tabela, está Bagdade no Iraque. 

Depois de no ano passado, Lisboa ter descido uma posição, em 2018 a capital surge com uma das mais destacadas subidas. A principal razão, segundo o estudo “Quality of Living”, que é realizado todos os anos e que vai já na 20.ª edição, é a melhor classificação da categoria de crime que apresentou melhores resultados do que no ano passado. Em 2016, a criminalidade geral baixou 7%, segundo Relatório Anual de Segurança Interna.

Com esta subida, a Lisboa conseguiu ultrapassar cidades como Paris (39.º lugar), Londres (41.º lugar), Milão (42.º lugar) e Barcelona (43º. Lugar). A capital portuguesa manteve-se acima de cidades como Madrid (49.º lugar) e Nova Iorque (45.º lugar).

O top das cidades com melhor qualidade de vida é liderado pela Europa, com oito das dez posições. Viena é líder seguida por Zurique (2.º lugar), Auckland e Munique, ambas em 3.º lugar. Vancouver completa o top das cinco melhores cidades, apresentando-se como a cidade norte-americana melhor posicionada no ranking.

Qualidade de Vida 2018 - Top 10 Ranking
Ranking  Cidade País Região
1 Viena Áustria Europa Ocidental
2 Zurique Suiça Europa Ocidental
3 Auckland Nova Zelândia Oceânia
3 Munique Alemanha Europa Ocidental
5 Vancouver Canadá América do Norte
6 Dusseldorf Alemanha Europa Ocidental
7 Frankfurt Alemanha Europa Ocidental
8 Geneva Suiça Europa Ocidental
9 Copenhaga Dinamarca Europa Ocidental
10 Basileia Suiça Europa Ocidental
10 Sidney Austrália Oceânia

As razões que colocam Viena a liderar a tabela a nível global estão relacionadas com o facto da cidade dar a quem lá vive um elevado nível de segurança, transportes públicos bem estruturados, bem como uma grande variedade de instalações culturais e de entretenimento. Já Munique, que subiu para a 3.ª posição, tem realizado um esforço para atrair talento e empresas, investindo em infraestruturas de alta tecnologia e promovendo a cultura.

Com pior desempenho temos a descida de três lugares de Estocolmo, (23.º lugar), devido ao ataque terrorista, em Abril de 2017, que fez quatro mortos. Londres permanece mais abaixo na lista, devido a questões persistentes que se prendem com o congestionamento de tráfego e a poluição do ar, caindo uma posição para o 41.º lugar.

Singapura (25.º lugar) e Montevideu (77.º lugar) são as cidades mais bem classificadas na Ásia e América Latina, respetivamente. 

No fim da tabela, temos cidades do Médio Oriente, Ásia e África.  Damasco (225.º lugar), Sana’a (229.º lugar) e Bagdade (231.º lugar) são as três cidades com pior classificação no que se refere à qualidade de vida da região. N’Djamena (226.º lugar), Khartoum (227.º lugar) e Bangui (230.º lugar) ocupam as posições mais baixas de África. A instabilidade política persistente, a pobreza, o clima e a falta de investimentos adequados em infraestruturas fazem com que estas cidades tenham a pior qualidade de vida a nível mundial.

Qualidade de Vida 2018 - Últimos 10
Ranking  Cidade País Região
222 Conacri Guiné África
223 Kinshasa Repúblico do Congo África
224 Brazzaville Congo África
225 Damasco Síria Ásia Ocidental
226 N'Djamena Chad África
227 Khartoum Sudão África
228 Port Au Prince Haiti América do Norte
229 Sana'a Iemén Ásia Ocidental
230 Bangui República Centro-Africana África
231 Bagdade Iraque Ásia Ocidental

Este ano o estudo disponibiliza ainda um ranking em separado sobre as condições de saneamento das cidades, que analisa as infraestruturas relacionadas com a remoção de resíduos e esgotos, níveis de doenças infeciosas, poluição do ar, fornecimento e qualidade de água.

Aqui, Lisboa encontra-se em 59º lugar, acima de cidades como Barcelona (61.º), Londres (67.º) e Roma (77.º). O ranking referente ao saneamento revela que algumas cidades do Norte da Europa posicionam-se entre o Top 10 global, com Helsínquia em 2.º lugar e Copenhaga, Oslo e Estocolmo, em 8.º lugar.