Foram registadas mais de cinco mil reações graves após a tomada das vacinas contra a covid-19 em Portugal. Em concreto, 5.373 relataram efeitos adversos após a inoculação, num total de 14.664.616 de doses administradas.

Os números são referidos no mais recente relatório de farmacovigilância do Infarmed, que analisou o período desde o fim de dezembro (quando foi dada a primeira vacina) e o dia 31 de agosto (altura em que cerca de 75% da população já tem a vacinação completa).

Neste sentido, regista-se apenas 0,4 casos graves de reação grave por cada mil habitantes, sendo que 82 dessas reações resultaram em morte (0,6% dos casos graves).

Os restantes casos graves distribuem-se entre "clinicamente importante" (3.262 casos), "incapacidade" (1.390), "hospitalização" (494) e risco de vida (145).

Relativamente a reações adversas no geral, foram registadas 14.447, um caso por cada mil habitantes.

Sobre a distribuição das reações, regista-se uma proporcionalidade com o número de vacinas administradas. A faixa etária entre os 25 e os 49 anos teve 2.536 reações graves, num universo de 5.052.411 vacinas administradas. Os dados mais completos podem ser consultados mais abaixo, que refere RAM como sendo a sigla para reações adversas a medicamentos.

A maioria das pessoas com reações adversas foram mulheres, num total de 3.571 reações graves e 6.087 reações ligeiras, enquanto os homens tiveram 1.446 reações graves e 2.448 reações ligeiras.

António Guimarães