"Face à suspeita de meningite, sem que se conhecesse ainda o tipo, foi clinicamente decidido proceder, imediata e preventivamente, à observação e isolamento dos três reclusos que compartilhavam o espaço celular com doente, sendo que, até ao momento, não há qualquer situação de manifestação de doença em qualquer recluso ou funcionário, nem, tão pouco, se encontra alguém internado em qualquer unidade hospitalar por este motivo", salienta a direção geral.