Dois reclusos tentaram fazer um buraco na parede de uma camarata de dez lugares para fugir da prisão de Castelo Branco.

Segundo informações apuradas pela TVI junto de fonte do interior da cadeia, um dos presos da camarata acabou por passar informações do plano ao graduado de serviço no sábado à noite.

Os dois reclusos, de 28 e 29 anos, terão começado a escavar o buraco no sábado antes do almoço com o auxílio de ferros e levantamentos de pesos do ginásio, que tinham desaparecido há cerca de uma semana.

Fonte do interiror da cadeia revelou que a diretora do estabelecimento prisional já tinha sido avisada por bilhete anónimo, mas que não ligou ao aviso.

A Direção-Geral dos Serviços Prisionais confirmou à TVI que foi detetado um buraco numa parede de acesso a um pátio interior, vigiado, mas não confirmou nem desmentiu as restantes informações recolhidas. O órgão de gestão das prisões disse também que vai iniciar um processo de averiguações.

O novo diretor-geral dos Serviços Prisionais, Rómulo Mateus, esteve na cadeia de Castelo Branco esta manhã para se inteirar do sucedido, tendo saído por volta das 13:00.

Os dois reclusos foram transportados para a cadeia de Monsanto e todos os outros foram distribuídos pelas outras camaratas

A cadeia de Castelo Branco, com 141 lugares, é considerada de alta segurança, mas não de segurança máxima. 

/ atualizada às 14:15