O Governo da Madeira aprovou esta segunda-feira o recolher obrigatório de segunda a sexta-feira entre 19:00 e as 05:00 e a suspensão das aulas presenciais no 3.º ciclo e no secundário entre quarta-feira e 31 de janeiro.

A partir de 13 de janeiro, ficam suspensas aulas presenciais para todos os alunos do 3º Ciclo e Ensino Secundário em todos os municípios da Região Autónoma da Madeira", diz Miguel Albuquerque.

Creches, escolas de Ensino Primário e escolas de Ensino Profissional devem manter aulas presenciais. 

O executivo regional decidiu manter em vigor, também no âmbito das medidas de contenção da pandemia de covid-19, o recolher obrigatório aos fins de semana entre as 18:00 e as 05:00, anunciado na semana passada.

Até ao dia 31 de janeiro todas as atividades de natureza industrial, comercial e de serviços na Região Autónoma da Madeira manter-se-ão em funcionamento com os devidos condicionamentos, mas terão, imperativamente, de encerrar às 18:00 durante os dias da semana", anunciou o presidente do Governo da Madeira, Miguel Albuquerque, numa comunicação aos jornalistas.

Os restaurantes só poderão funcionar após as 18:00 para entregas ao domicílio e os profissionais de entregas de refeições ao domicílio só podem circular até às 22:00 e mediante a apresentação de uma identificação própria.

Até o dia 31 de janeiro e durante os dias da semana apenas será permitido o funcionamento dos restaurantes até às 22:00 exclusivamente para a confeção de refeições para entrega ao domicílio", indicou, vincando que só os profissionais associados a esta atividade poderão circular depois do recolher obrigatório, com a devida identificação.

Miguel Albuquerque referiu também que para toda a administração pública é incentivado o teletrabalho sempre que seja "aplicável e justificável" e que será adotado o regime de trabalho em jornada contínua para reduzir os contactos e a circulação de pessoas.

As medidas agora adotadas têm por objetivo reduzir os fluxos de circulação e concentração de pessoas, garantido simultaneamente o funcionamento possível das atividades económicas e sociais, evitando os efeitos desfavoráveis, económicos, sociais e psicológicos que um confinamento total, nesta altura, acarretaria", disse.

O chefe do executivo, de coligação PSD/CDS-PP, disse que as novas restrições resultam do aumento do número de casos de covid-19 nos últimos dias, associado à variante do vírus detetada no Reino Unido, que colocou alguns concelhos da região em situação de risco elevado.

De acordo com os dados mais recentes, a Região Autónoma da Madeira, com cerca de 260 mil habitantes, regista 20 óbitos associados à covid-19 - duas ocorridas hoje - e um total de 1.201 casos ativos, dos quais 158 são importados e 1.043 de transmissão local.

Manuela Micael / Com Lusa - atualizada às 18:45