O presidente do conselho de administração da SIRESP SA escreveu uma carta ao ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, a criticar o relatório do grupo de trabalho nomeado pelo Governo para apresentar soluções para as comunicações de emergência em Portugal.

Na missiva, a que a TSF teve acesso, Pedro Bonifácio Vítor começou por lembrar que muita da informação contida no documento era sensível e devia ter sido mantida “estritamente confidencial", mas que isso não aconteceu e o relatório foi citado na comunicação social “com transcrições de textos e recomendações do mesmo” logo após a sua publicação.

O responsável fez saber que não gostou de ver o grupo de trabalho a acusar a empresa de se mover apenas por "interesses privados e por uma lógica comercial de obtenção de lucro".

Pedro Bonifácio Vítor disse que a SIRESP sempre cumpriu escrupulosamente o contrato com o Estado, frisando que isso "nem sempre se verificou da parte do parceiro público". E lembrou os atrasos sucessivos nos pagamentos, que "em 2011 já se traduziam numa dívida de 12 milhões de euros, atingindo em dezembro um máximo de 22,8 milhões de euros."

O presidente da SIRESP queixou-se ainda de não ter sido ouvido pelos técnicos, considerando que os investimentos sugeridos são de elevado risco e de custos incertos.

/ SS