É uma das privatizações mais polémicas de sempre e afeta a vida de milhões de portugueses.

Mais de cinco anos depois da privatização dos CTT, percorremos o país de Norte a Sul e encontrámos pensionistas com reformas em atraso até três meses porque os vales dos CTT para levantar esse dinheiro não chegam, ou porque os postos onde funcionam agora, não têm dinheiro disponível.

Muitos desses postos funcionam em locais verdadeiramente insólitos, como cafés, floristas, minimercados e até mesmo em capelas.

André Carvalho Ramos