Porque é que a região Norte concentra o maior número de casos infetados e mortos? Esta terça-feira, não perca o debate no Jornal das 8.

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde, Portugal regista 567 mortos associados a Covid-19, mais 32 do que na segunda-feira, e 17.448 infetados (mais 514).

Os dados da DGS precisam que o concelho do Porto é o que regista o maior número de casos de infeção (959), seguido de Lisboa (946 casos), Vila Nova de Gaia (884), Matosinhos (768), Gondomar (718), Braga (647), Maia (645), Valongo (507), Ovar (435) e Sintra com 404 casos.

Na conferência de imprensa da DGS, Graça Freitas, quando questionada sobre o porquê da região Norte ser a mais afetada do país - a liderar o número de casos infetados e de mortes - explicou que se deveu à grande movimentação de empresários dessa região para a zona da Lombardia, em Itália, e que isso gerou várias cadeias de transmissão. 

Soubemos todos desde o primeiro dia que foi na região Norte que existiu um grande número de casos importados. Foi de facto uma grande coincidência existir uma grande movimentação de pessoas e de empresários da região Norte para a zona da Lombardia na altura em que começou  o surto".

Nesse sentido, a diretora-geral da Saúde disse que os casos se expandem muito mais rapidamente "quando o núcleo inicial de casos é muito grande", independentemente das "medidas de contenção que se tentem tomar". 

O que poderá explicar esta situação epidemiológica na região Norte foi de facto a forma como se criaram cadeias de transmissão e, portanto, focos de transmissão comunitários", acrescentou.