A GNR está dominada por uma teia de ligações familiares, à semelhança do que tem acontecido com o Governo.

A TVI expõe, no programa “Ana Leal” desta quinta-feira as situações de favorecimento às famílias das mais altas patentes da Guarda Nacional Republicana, com o conhecimento do ministro da Administração Interna.

Há casos de mulheres e filhas de coronéis que entraram diretamente para os quadros da GNR, passando à frente de militares de carreira, altamente qualificados.

Há também casos de contratações externas, através de avenças, quando a Guarda tinha militares disponíveis para desempenharem as mesmas funções.

A TVI tentou ouvir o ministro Eduardo Cabrita que não respondeu a nenhuma das perguntas que remetemos por escrito, sobre cada um destes casos familiares.

Quanto ao Comandante Geral da GNR, Luís Francisco Botelho Miguel, não desmentiu nenhuma destas relações familiares, limitando-se a uma nota onde diz que a profissão de militar é incompatível com a de advogado. E mais não disse.