«O colapso do sistema informático (CITIUS), em setembro, é talvez o indicador mais preocupante da excessiva pressa na condução da reforma judicial», notou.