«Compreendendo eu que, efetivamente, ao nível de gastos públicos tem de haver sempre esse enquadramento, só tenho de acreditar naquilo que o senhor primeiro-ministro nos diz. Agora, o que é lamentável, e isso fez parte da conversa, é que não haja esse enquadramento para situações de cataclismo como estas.»


«Iria tentar junto do Governo espanhol compreender melhor a situação e ser porta-voz destas pessoas, porque sentiu, penso eu, profundamente, o drama que estas famílias vivem. Mas isto é uma questão meramente de diplomacia, porque o senhor primeiro-ministro deixou claro que não havia condições em Portugal e, se calhar, em Espanha também não as haverá. E, portanto, entramos aqui num processo que provavelmente só pela via judicial é que terá solução.»