A Polícia Judiciária conduziu uma operação que levou à detenção de dois suspeitos de terem burlado várias pessoas em regime de Time Sharing, através de propostas fraudulentas de intermediação da venda para o mercado estrangeiro.

Os suspeitos tinham como alvo grupos que compravam a possibilidade de usufruir de um local de férias durante uma ou mais semanas definidas, sendo que esse imóvel é compartilhado com outros clientes que também fizerem a aquisição de cotas.

Esta forma de investimento imobiliário que ganhou expressão na região do Algarve nos últimos anos foi a porta de entrada para os detidos receberem dinheiro indevidamente. Segundo conta a Polícia Judiciária, os suspeitos terão levado a cabo centenas de burlas, com a revenda fictícia de títulos de semanas de férias, fazendo desta prática ilícita o seu modo de vida.

Os detidos cobravam por essa alegada intermediação entre o estrangeiro e habitações de luxo no Algarve elevadas quantias monetárias.

A Polícia Judiciária informa ainda que os suspeitos foram presentes à Autoridade Judiciária competente para interrogatório judicial, tendo a ambos sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.