O Centro Social Paroquial de Ribeirão, em Vila Nova de Famalicão, decidiu suspender a atividade de algumas das suas valências, depois de “entre seis a dez” funcionários terem acusado positivo para a covid-19, anunciou a instituição, nesta quinta-feira.

Em declarações à Lusa, a diretora-técnica do centro disse que apenas se mantêm em atividade as valências que são “imprescindíveis”, como o lar de idosos e o lar para pessoas com deficiência.

“O próprio apoio domiciliário está a funcionar em formato reduzido, em articulação com as famílias dos utentes”, acrescentou.

Suspensa está, assim, a atividade de todas as respostas para a infância, do centro de atividades ocupacionais e do centro de dia.

Segundo a diretora-técnica, os funcionários infetados prestam serviço nas diferentes valências, “sendo que não houve qualquer contacto entre eles”.

Os utentes vão agora ser testados, sendo que também já foi contratada uma empresa para proceder à desinfeção dos diferentes espaços do Centro Social e Paroquial.

Na semana passada, o padre que preside à direção da instituição acusou positivo para a covid-19.

A diretora-técnica garantiu hoje que não houve qualquer contacto entre o padre e os funcionários infetados.

Estamos a trabalhar, conjuntamente com as autoridades de saúde, para tentar perceber o que se passa e qual terá sido o foco de infeção”, acrescentou.

/ CM