As buscas pelo jovem de 15 anos desaparecido na terça-feira no rio Tejo, na zona do Cais de Alhandra, no concelho de vila Franca de Xira, foram hoje retomadas ao início da manhã.

Em declarações à Lusa, o capitão do porto e comandante-local da Polícia Marítima de Lisboa, Vieira Branco, explicou que as buscas foram retomadas pelas 08:00 “no mar e em terra”, numa zona “alargada em relação à área percorrida ontem [terça-feira] na zona do acidente”.

As buscas estão a ser realizadas com recurso a três embarcações da Estação Salva-Vidas de Lisboa, e duas dos bombeiros voluntários de Alhandra e de Alverca. Haverá ainda o auxílio de uma mota de água, igualmente da Estação Salva-Vidas de Lisboa, para ajudar na linha de costa.

De acordo com Vieira Branco, decorreram entre as 21:30 e as 00:15 (já de hoje) “buscas com um grupo de mergulhadores forense, durante a preia-mar, aproveitando o facto de a corrente de maré ser muito baixa, quase nula, tendo possibilitado a pesquisa em toda a área no pequeno porto de recreio de Alhandra, permitindo ainda subir para norte”.

“Foi possível pesquisar de forma muito minuciosa a zona”, disse o comandante.

 

O facto de a corrente “ser muito significativa na zona introduz um grau de incerteza, pelo que a área de busca vai ter de ir sendo alargada à medida que as mesmas decorrem”, acrescentou.

De acordo com as primeiras informações do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Lisboa, o alerta para o desaparecimento do rapaz foi dado às 14:17 de terça-feira.

Posteriormente, fonte da Polícia Marítima explicou que o rapaz estava acompanhado por um colega quando se terá sentido mal, enquanto nadava, e desapareceu.

Segundo a Polícia Marítima, após o alerta, foram “de imediato ativados para o local elementos da Polícia Marítima, da Estação Salva-Vidas de Lisboa e dos Bombeiros Voluntários de Alhandra, Vila Franca de Xira, Alverca e Póvoa de Santa Iria”.

. / CP