Uma cidadã brasileira, de 31 anos, está desaparecida na região de Coimbra desde 14 de novembro, data do último contacto com familiares e amigos.

Segundo apurou a TVI, Rosineide Trindade de Oliveira chegou a Portugal em outubro e conseguiu trabalho num restaurante em Condeixa-a-Nova, o Restinova, que também lhe terá oferecido alojamento.

Os amigos contaram à sbt, televisão brasileira, que o dono do restaurante lhes disse que Rosineide trabalhou apenas um dia, informação que contestam, uma vez que, segundo as mensagens trocadas com a mulher, ela dizia que andava cansada do trabalho, que acumulava com a ajuda a uma senhora. O proprietário do Restinova também lhes terá dito que a mulher deixou todos os seus pertences no alojamento.

A família pede ajuda às autoridades portuguesas para ajudarem a descobrir o paradeiro de Rosineide, depois de terem tentado participar o seu desaparecimento na polícia federal brasileira, cuja matéria disse não ser da sua competência e sim do consulado brasileiro em Portugal.

Em Portugal, uma compatriota da brasileira desaparecida, Larissa Fabiana, apresentou queixa na PSP da Póvoa de Varzim, depois de o proprietário do restaurante ter reportado o desaparecimento da funcionária junto da GNR, segundo contou.

Larissa Fabiana contou à TVI que, segundo proprietário do restaurante, Rosineide teria sido despedida por chegar alcoolizada ao trabalho e que lhe pediu para a levar a Lisboa, dizendo depois que já não seria necessário porque tinha arranjado boleia de um amigo. Os amigos e familiares também estranharam esta informação, defendendo que a mulher sempre foi muito responsável.

Nas redes sociais foi possível encontrar pedidos para partilha de informações, como o desta utilizadora.

Também a irmã apelou às autoridades portuguesas como se pode ver no vídeo associado.

A família não tem possibilidades para viajar para Portugal, tentando à distância mobilizar autoridades, meios de comunicação social e anónimos na procura de Rosineide.