Os jornalistas da RDP, reunidos esta quarta-feira em plenário, manifestaram insatisfação quanto à escassez de recursos, reclamando à administração da RTP dignidade de tratamento e exigindo medidas para a salvaguarda do serviço público de rádio.

Os jornalistas da rádio pública acompanham o Conselho de Redação na sinalização da insatisfação quanto à escassez de recursos materiais e humanos e à instabilidade provocada pela constante saída de jornalistas”, lê-se na moção esta quarta-feria aprovada.

Para os jornalistas, a falta de recursos humanos não é compensada “em número e em experiência” com a entrada destes profissionais em início de carreira.

Considerando que não estão criadas as condições para a realização de um trabalho que esteja à altura do que se espera do serviço público de rádio, os jornalistas da rádio pública reclamam dignidade na forma como são tratados pela Administração da RTP”, vincaram.

De acordo com o documento, os profissionais exigem ainda que sejam tomadas “medidas concretas para a salvaguarda do serviço público de rádio”.

Em novembro do ano passado, cerca de meia centena de jornalistas, tradutores, locutores, repórteres de imagem, entre outros trabalhadores precários do universo RTP, protestaram em frente à estação televisiva, em Lisboa, contra a falta de respostas do Governo sobre a sua integração. 

Em janeiro o presidente da RTP, Gonçalo Reis, disse que os 130 trabalhadores homologados no programa de regularização de precários seriam entregados nesse mês