O embaixador do Iraque em Lisboa foi alvo de uma tentativa de burla no caso da agressão a Rúben Cavaco em Ponte de Sor. O diplomata esteve quase a pagar uma indemnização de 30.000 euros a um alegado burlão que se fez passar por advogado do jovem.

Desde agosto que o embaixador estava a negociar uma indemnização com aquele que julgava ser o advogado de Rúben.

O embaixador terá sido contactado quando o jovem agredido ainda estava hospitalizado, mas já depois dos filhos do diplomata terem assumido publicamente as agressões.

A burla só foi detetada na semana passada, quando o diplomata se preparava para entregar a quantia. O local e dia combinados foram a Expo, em Lisboa, na terça-feira.

Contudo, horas antes do encontro, Santana-Maia, o verdadeiro advogado de Rúben Cavaco, foi contactado pela secretária do embaixador.

Quando ligaram para mim era precisamente para a pedir a documentação para que o acordo fosse firmado”, contou à TVI. “Eu nunca falei com o senhor embaixador, nunca telefonei para a Embaixada do Iraque. Nunca tive qualquer contacto com a Embaixada do Iraque. Há aqui um burlão que, aproveitando-se desta situação ou deste vazio andou aqui a tentar ver se ganhava alguma coisa com este negócio."

A TVI contactou a embaixada do Iraque e enviou várias perguntas, mas até agora não obteve resposta.

Haida e Ridha, os gémeos de 17 anos, filhos do embaixador do Iraque, são investigados em Portugal por homicídio na forma tentada.

O Estado Iraquiano não aceitou levantar-lhes a imunidade diplomática, o que pode conduzir a um arquivamento do processo-crime.

A TVI contactou ainda a defensora oficiosa dos jovens iraquinos, que não quis pronunciar-se sobre a alegada burla.

Já o advogado de Rúben admite apresentar queixa-crime contra o suposto burlão. Até ao momento, no entanto, a PJ não recebeu qualquer participação.

Rúben chegou a estar em coma na sequência das agressões violentas que sofreu por parte dos gémeos iraquianos Haida e Ridha.

Cláudia Rosenbusch