O surto de covid-19 detetado no início de agosto, na Santa Casa da Misericórdia de Proença-a-Nova, já provocou cinco mortes e regista um total de 153 casos ativos, anunciou hoje o município local.

Em comunicado, a Câmara de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, refere que o último balanço feito regista “três óbitos de utentes da Santa Casa da Misericórdia”, aumentando “para cinco o número de óbitos desde o início do surto de SARS-CoV-2”.

A nota adianta ainda que está hospitalizado um utente daquela Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), “mas com perspetivas de poder ter alta brevemente”.

Outros dois utentes estão nas instalações da Santa Casa da Misericórdia de Proença-a-Nova “a receber oxigénio” e, para já, “sem perspetivas de serem hospitalizados”.

Segundo a autarquia, atualmente esta IPSS tem um total de 153 casos ativos, sendo que 127 são utentes e 26 funcionários da instituição.

Na sua maioria, os utentes encontram-se estáveis e com expectativa de evolução favorável, estando sempre acompanhados de forma próxima e cuidada”, lê-se na nota.

Perante este cenário, a Câmara de Proença-a-Nova, em estreita ligação com os membros da Comissão Municipal de Proteção Civil, decidiu prolongar o adiamento de todas as atividades de grupo abertas ao público até à próxima segunda-feira, mantendo-se a aplicação de medidas restritivas de combate à covid-19.

O município local instalou um posto de autotestagem gratuita à covid-19 no Parque Comendador João Martins, no antigo Espaço Internet, que está em funcionamento até sexta-feira.

A covid-19 provocou pelo menos 4.361.805 mortes em todo o mundo, entre mais de 207,19 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.573 pessoas e foram registados 1.004.470 casos de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.

/ RL