A Santa Casa da Misericórdia de Lisboa recebeu mais de 100 contactos de interessados em acolher crianças em risco, apenas uma semana depois do lançamento da campanha que visa sensibilizar para o acolhimento familiar.

Ao Jornal I, a Santa Casa confirma que tem recebido em média 20 contactos por dia de pessoas interessadas em acolher menores de forma temporária.

Todos os anos há cerca de 100 crianças com menos de 6 anos em situação de perigo, que precisam de ser acolhidas na área de competência da Santa Casa de Lisboa. São casos de negligência, maus tratos ou incapacidade de pais e familiares que desencadeiam processos de proteção. A esmagadora maioria destas crianças são levadas para lares de acolhimento.

Em 2017, havia apenas 177 famílias de acolhimento registadas e nenhuma no distrito de Lisboa. Desde então, juntaram-se mais três.

Os candidatos a acolhimento de crianças em risco têm que ter mais de 25 anos e não podem ser candidatos à adoção. São avaliadas condições físicas, psicológicas e materiais.

Estas famílias têm que estar dispostas a acolher uma criança como se fosse um filho e estar preparadas para que, ao fim de algum tempo, ela regresse à família biológica ou de adoção.

/ CE