Sara Moreira, de Recarei, tinha 19 anos e morreu depois de três anos de queixas de dores de cabeça, desmaios e vómitos.

Foi ao centro de saúde várias vezes e esteve na urgência do hospital de Penafiel 11 vezes, onde lhe diziam sofrer de ansiedade. 

Morreu sem lhe ter sido diagnosticado um tumor de mais de um quilo na cabeça, precisamente dois dias depois de ter ido pela última vez às urgências, em janeiro de 2013.

A autópsia revelaria um tumor cerebral de grande dimensões, com mais de um quilo, nunca diagnosticado.

O caso seguiu para tribunal e a Relação do Porto confirmou, nesta quinta-feira, a absolvição dos quatro médicos em julgamento.

A advogada da família confirmou que não é possível recorrer desta decisão.

Lígia Marta