Os pólenes estão esta semana em níveis muito elevados um pouco por todo o país e a imunoalergologista Joana Bruno Soares foi convidada esta segunda-feira a revelar algumas medidas a tomar para ultrapassar a época crítica das alergias: a primavera. 


De acordo com o Boletim Polínico, há um predomínio dos pólenes da erva urtiga e da árvore cipreste, seguidos pelo pólen da erva parietária.

O ideal para lidar com as alergias é fazer uma consulta de imunoalergologia onde podemos fazer os testes que permitem indicar se a pessoa é alérgica ou não", afirma a especialista, sublinhando a importância de fazer o diagnóstico correto e prescrever o medicamento mais adequado.

Para exemplificar os resultados obtidos através da consulta imunoalergológica, a doutora Joana Bruno Soares aplicou o teste à jornalista Patrícia Matos.

Começamos por limpar a pele com uma solução de álcool, depois fazemos uma pequena picada. Depois, aguardamos e observamos se a pele faz alguma reação ao extrato aplicado", explicou a médica.

É possível realizar o teste, incidindo em cada substância a que uma pessoa pode ser alérgica. Normalmente são testados 20 extratos em cada consulta.

O pólen e os ácaros são as substâncias responsáveis por provocar o maior número de reações alérgicas nos portugueses. A um mês de chegar a primavera, a especialista aconselha a evitar a auto-medicação e a aconselhar-se sobre a aplicação de uma vacina anti-alérgica.

/ HCL