A doença surge “devido a um tipo especial de carraça, que não tem nada a ver com a carraça que existe nos animais domésticos, que transporta dentro dela uma bactéria”, garantiu António Vilar, reumatologista, em entrevista à TVI.






“Os sintomas podem ser como os de uma doença banal, como infeções, febre, dores de cabeça, náuseas e fadiga e dores nas articulações. Pode vir mesmo acompanhado com formas de meningite, de encefalite ou paralisia facial”, disse António Vilar, revelando que esta se pode tornar numa doença com graves consequências se não for tratada a tempo.


Redação / SL