cancerígenos


“Mais do que tudo, isto é um sinal vermelho para tentarmos perceber que há que mudar o nosso estilo de vida, mudar as nossas dietas, a nossa alimentação, e sobretudo promover uma diminuição da obesidade que, essa sim, o tabagismo e a ingestão abusiva de álcool estão claramente associados e elevadamente comprovados que provocam o aumento do cancro digestivo”, afirmou o cirurgião.


em excesso