O Infarmed anunciou que irá suspender o tratamento com hidroxicloroquina a doentes infetados com a Covid-19.

Fonte da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde confirmou à TVI a decisão tomada em conjunto com a DGS e, em comunicado, é revelado que "esta decisão está em linha com a decisão da Organização Mundial de Saúde (OMS), na sequência da publicação de dados que questionam a segurança e a eficácia deste medicamento."

No entanto, "apesar de o Infarmed e a DGS recomendarem a suspensão do tratamento com este medicamento, alerta-se que estas recomendações só dizem respeito ao uso na COVID-19, sendo que os doentes que estavam a ser tratados com hidroxicloroquina para outras patologias, doenças autoimunes como lúpus eritematoso sistémico, artrite reumatoide e malária, para as quais estas moléculas estão aprovadas, não devem interromper o seu tratamento, que nestas situações se mantem seguro, desde que devidamente acompanhado pelo médico assistente."

Esta recomendação será revista à luz da revisão do Comité de Monitorização da Segurança da OMS prevista para o mês de junho.

No dia 25 de maio, a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou a suspensão temporária dos ensaios clínicos com hidroxicloroquina para combater a Covid-19 por causa de estudos científicos que associam maior mortalidade ao uso daquele medicamento.

Um dos estudos, que contou com os dados de 96 mil doentes hospitalizados devido a infeção por Covid-19, chegou à conclusão de que usar hidroxicloroquina e cloroquina no tratamento da doença aumenta o risco de morte dos infetados pelo SARS-Cov-2.

A investigação foi publicada no dia 22 de maio na revista Lancet e é a mais abrangente até ao momento a procurar aferir dos riscos e benefícios da utilização destes medicamentos antimalária no tratamento da Covid-19.

Já no dia 18 de maio o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelou que estava a tomar hidroxicloroquina.

 Um comprimido por dia", descreveu Trump após um encontro na Casa Branca com empresários da restauração.

A hidroxicloroquina e a cloroquina são amplamente utilizadas há muitos anos para tratar a malária, lúpus e artrite reumatoide.

Henrique Magalhães Claudino / Notícia atualizada às 21:03