Infeções graves com covid-19 podem prejudicar a qualidade do esperma de um homem, possivelmente afetando a sua fertilidade, revela um estudo publicado na quinta-feira na revista "Reproduction".

Este relatório fornece a primeira evidência, até o momento, de que a infecção por covid-19 prejudica a qualidade do esperma e o potencial reprodutivo masculino", diz o estudo.

Em comparação com homens saudáveis ​​sem covid-19, o estudo encontrou um aumento significativo na inflamação dos espermatozóides em homens com covid-19.

"Essas inflamações vão afetar a qualidade dos espermatozóides e consequente redução do potencial de fertilidade. Embora esses efeitos tendam a melhorar com o tempo, eles permaneceram significativa e anormalmente maiores nos pacientes com covidD-19, e a magnitude dessas mudanças também está relacionada com a severidade da doença", disse em comunicado o investigador principal Behzad Hajizadeh Maleki, que está a fazer o doutoramento na Justus Liebig University Giessen, em Hesse, Alemanha.

Havia também níveis muito mais altos de atividade enzimática ACE2 em homens com covid, descobriu o estudo. A ACE2, ou enzima conversora de angiotensina 2, é a proteína que facilita a entrada do novo coronavírus no organismo.

No entanto, alguns especialistas não envolvidos no estudo estão céticos quanto às suas conclusões. "É preciso ter uma grande cautela interpretação desses dados. Por exemplo, os autores afirmam que os dados demonstram que 'a infecção por covid-19 causa prejuízos significativos da função reprodutiva masculina', embora só realmente mostrem uma associação",  disse à CNN Allan Pacey, professor de andrologia da Universidade de Sheffield em South Yorkshire, Reino Unido, e editor da revista "Human Fertiluty".

Estar doente por causa de qualquer vírus, como a gripe, pode diminuir temporariamente sua contagem de esperma (às vezes para zero) por algumas semanas ou meses. Isso torna difícil calcular o quanto das reduções observadas neste estudo foram causadas especificamente pela covid-19, em vez de apenas pelo facto de ele estar doente ", adverte Channa Jayasena, consultora em endocrinologia reprodutiva e andrologia do Imperial College London.

Além disso, "é importante notar que não há evidências do vírus Covid-19 no sémen e que não há provas de que o vírus possa ser transmitido via sémen", afirma Alison Murdoch, que dirige o Newcastle Fertility Centre no International Centre for Life, Newcastle University no Reino Unido.

Havia também níveis muito mais altos de atividade enzimática ACE2 em homens com Covid, descobriu o estudo. ACE2, ou enzima conversora de angiotensina 2, é a proteína que fornece o ponto de entrada para o novo coronavírus se conectar e infectar uma ampla gama de células humanas

No entanto, não é surpreendente que a covid-19 possa afetar o sistema reprodutivo masculino porque os receptores ACE2, ou "os mesmos receptores que o vírus usa para obter acesso aos tecidos do pulmão, também se encontram nos testículos", disse Pacey.