A direcção do Hospital de Faro já recebeu as cartas de demissão de 17 dos 19 chefes de equipa que ameaçaram demitir-se no início do mês, revelou a directora clínica da unidade, adiantando que vai tentar demover os demissionários.

«Agora vamos com calma, temos tempo para responder às cartas e muita coisa pode acontecer, desde eles retirarem os pedidos até nós não os aceitarmos», aventou Helena Gomes.

A responsável, que esteve toda a tarde de sexta-feira reunida com o presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) para debater a situação, adiantou que tentará agora demover os profissionais, em conversas privadas, que de resto, revelou, já começaram.

«Não é minha intenção deixá-los sair sem uma palavra para tentar resolver a situação e não escondo que é um momento difícil», esclareceu.

Aventou também a hipótese de chamar alguns daqueles profissionais a fazerem parte do núcleo de trabalho para a reestruturação das urgências, criado em Maio.

Em conferência de imprensa dada no passado dia 2 de Novembro, o bastonário da Ordem dos Médicos, Pedro Nunes, anunciou a demissão em bloco de 19 chefes de equipa da área médica daquele serviço, desagradados com a alegada falta de condições das urgências.

Na altura, o bastonário alertou que os utentes que têm que se deslocar às Urgências do Hospital de Faro correm um «risco efectivo» devido às «inaceitáveis» condições que aquele serviço apresenta.

Os 19 responsáveis de serviços que assinaram a carta de protesto constituem a quase totalidade dos directores, pois apenas um não assinou a carta.
Portugal Diário