O bastonário da Ordem dos Médicos é da opinião de que as baixas de três dias contribuem para o congestionamento das urgências e que o melhor seria acabar com elas.

Se acabássemos, como acontece em outros países, com os atestados médicos e curta duração provavelmente deixávamos de ter, 15 a 20% das pessoas, nos serviços de urgência nomeadamente à segunda-feira”, disse Miguel Guimarães em declarações à Lusa.

“A pessoa sentiu-se mal no fim-de-semana. Teve uma dor de cabeça, uma dor de barriga, o que for, e segunda-feira vai ao serviço de urgência para ter um atestado médico”, acrescenta o bastonário.

E esclarece que os médicos acabam por passar os atestados porque não têm grande alternativa. É uma doença de curta duração e não dá tempo para investigar.

A proposta da Ordem já foi feita ao Executivo.

Propusemos, e provavelmente tem que ser trabalhado com o Ministério da Saúde, mas também com o Ministério da Segurança Social, que se acabasse com os atestados médicos de curta duração.”

A resposta do Governo não se fez esperar, mostrando abertura para estudar o dossier.

Em declarações à Lusa, o secretário de estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, disse tratar-se de uma proposta “construtiva. Qu