O secretário açoriano da Saúde, Miguel Correia, sensibilizou, esta sexta-feira, a ministra Ana Jorge para a falta de médicos nos Açores, uma carência a que o Governo da República promete estar «atento», informa a Lusa.

«Sabemos que existe também no território nacional falta de médicos, mas nos Açores esta carência é mais grave. Para este facto a senhora ministra ficou sensibilizada», afirmou Miguel Correia, identificando as áreas de Medicina Geral e Familiar como as mais carenciadas.

Após a reunião, em Lisboa, Miguel Correia disse que Ana Jorge prometeu que estaria «atenta» aos pedidos de mobilidade dos médicos e ao preenchimento de vagas de internato dos clínicos que queiram tirar a especialidade nos hospitais açorianos.

Segundo o governante açoriano, a falta de um médico de família num Centro de Saúde de uma ilha sem hospital pode constituir um problema acrescido no acesso à saúde.

O secretário com a pasta da Saúde disse ainda ter proposto um protocolo de cooperação para que seja disponibilizada informação por parte das entidades nacionais ligadas ao sector, que habilite e valide as opções que o Governo Regional vier a tomar em relação à temática do medicamento.

«O objectivo de qualquer política de medicamento é no sentido de tornar mais eficiente o uso pelo utente e com menor custo», sustentou Miguel Correia, depois de ter reunido, pela primeira vez, com a ministra da Saúde.