Algumas das especialidades do Curry Cabral vão passar para o novo Hospital de Todos os Santos, mas as urgências vão manter-se, pelo menos até à entrada em funcionamento desta unidade hospitalar, afirmou a ministra da Saúde, esta terça-feira, à Agência Lusa.

Ana Jorge falou sobre a reorganização do parque hospitalar de Lisboa durante uma visita ao Hospital Curry Cabral e referiu que algumas das «áreas de grande diferenciação técnica» vão passar para o Hospital de Todos os Santos.

«Os hospitais já estão em concurso e já há uma perspectiva do que vão ser e quais vão ser as áreas de diferenciação do Hospital de Todos os Santos (HTS) no futuro. Algumas áreas de grande diferenciação técnica daqui vão integrar o HTS», adiantou a governante.

«Vamos ter um hospital novo de grande tecnologia que é o HTS. Provavelmente há áreas deste hospital que poderão ir para lá, porque fará todo o sentido ser um hospital polivalente. Outras têm de se manter», acrescentou, sublinhando, que «esse trabalho vai começar a ser feito agora».

Quanto às urgências, vão estar abertas pelo menos até à entrada em funcionamento dos Hospitais de Todos os Santos e de Loures, embora possa haver alterações.

«Nada obsta a que não possa haver uma articulação melhor com outras urgências para dar melhor resposta à população», considerou a ministra.

Ana Jorge reconheceu as «dificuldades» a nível de recursos humanos, sobretudo nas urgências, e admitiu a necessidade de «concentrar alguns recursos» para garantir a qualidade no atendimento.

A responsável pela pasta da Saúde garantiu que as medidas para preparar a reorganização do parque hospitalar estão em curso, mas não quis avançar pormenores, já que os dois novos hospitais só vão abrir dentro de quatro ou cinco anos.

«Estamos a preparar a ligação deste hospital com os outros, porque sabemos que vão aparecer novos recursos de fora e esta casa tem de repensar a sua existência de forma articulada com os hospitais, sendo que, até a abertura destes, tem que manter a sua qualidade de funcionamento», salientou.

A visita que fez ao Curry Cabral, esta terça-feira, serviu também para Ana Jorge conhecer melhor um espaço para doentes ventilados crónicos que funciona na unidade de cuidados intensivos e que é único no país, uma «pequena experiência» que elogiou e que vai ajudar a gerir melhor estes doentes.