Médicos do privado também se queixam















Doentes oncológicos faltam mais às consultas






“Os dados merecem reflexão: pense-se nas implicações de 40% dos oncologistas inquiridos afirmarem que o absentismo dos doentes aumentou”, referem os autores do estudo.


“A perceção do aumento do absentismo dos doentes é mais elevada entre os médicos que afirmam não ter havido um aumento de atividade no SNS, do que para os médicos que afirmaram existir esse aumento. Assim, o absentismo dos doentes não parece ser reflexo do aumento da atividade no SNS. Não sendo possível determinar quais as razões desse comportamento, as análises realizadas sugerem dificuldades no acesso”, referem os autores.






“Os dados demonstram uma tendência inequívoca de forte condicionalismo financeiro sentido pelos utentes do SNS, em particular no consumo de medicamentos”, refere o estudo do ISCTE, realizado no âmbito de um protocolo com a Ordem dos Médicos.


Redação / MM