A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) e o Sindicato Independente dos Médicos (SIP) decidiram este sábado suspender a greve marcada para 23, 24 e 25 de novembro na sequência da não aprovação do Orçamento do Estado e da decisão do Presidente da República em dissolver o parlamento.

A decisão do SIP foi tomada em reunião do Conselho Nacional, órgão máximo entre Congressos, que anteriormente tinha analisado e validado a proposta do Secretariado Nacional de marcação da greve.

Também a FNAM, numa reunião do Conselho Nacional, decidiu suspender a greve, “após cuidada avaliação do contexto atual de crise política, condicionada pela não aprovação do Orçamento do Estado para 2022”.

Em comunicado, a FNAM acrescenta que quer “deixar bem claro que a degradação das condições do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e das condições laborais dos médicos mantém-se como um problema grave e com necessidade de resolução urgente”.

O Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) foi ‘chumbado’ em 27 de outubro e, na quinta-feira, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou a dissolução do parlamento e a convocação de eleições legislativas antecipadas para 30 de janeiro.

 

/ MJC